Frente de caixa (PDV): obrigatoriedade do TEF nas emissões de NFC-e

O uso do TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) é obrigatório para os estados de Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Assim, as empresas que realizam vendas com cartão de crédito ou débito devem fazer a emissão do comprovante de pagamento vinculado à Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e), por interligação com o programa emissor de notas fiscais.

O que é TEF?

A Transferência Eletrônica de Fundos, mais conhecida como TEF, é uma solução que permite a comunicação entre o sistema de gestão da empresa e a administradora de cartões de crédito, e consequentemente, melhora o controle das vendas por meio do registro automático dos dados relativos às operações financeiras realizadas.

Ao utilizar o TEF, além das informações básicas sobre como será efetuado o pagamento da operação (se à vista ou à prazo), a empresa também precisa informar dados como a credenciadora, bandeira do cartão de crédito e o código de transação que é emitido na via impressa pela máquina do cartão.

Em alguns estados, o TEF pode ser obrigatório para todos os estabelecimentos que emitem NFC-e e utilizam maquininha de cartão de crédito/débito ou apenas para contribuintes que exerçam atividades específicas.

Quais são os dados relacionados ao TEF que precisam ser informados na nota?

Acesse Frente de Caixa > Frente de Caixa, escolha o produto e ao selecionar a forma de pagamento e escolher cartão, clique em Detalhes de pagamento em cartão para adicionar as informações relacionadas ao TEF.

São elas:

  • Credenciadora
  • Bandeira do cartão
  • Código de transação (NSU)

tef.gif

 

Importante!

No momento, as informações devem ser preenchidas manualmente, estamos atuando em melhorias para o processo de emissão de NFC-e.

Acompanhe nossas novidades.

 

Credenciadora

  • Cielo
  • Elavon
  • Getnet
  • PagSeguro
  • Rede
  • Stone

 

Bandeira do cartão

  • Visa
  • Mastercard

 

Código da transação

  • É o código que é exibido na via impressa pela máquina do cartão (NSU).
Como identificar as informações nos recibos TEF?

cupom.png

 

Depois, clique em Finalizar ou Finalizar e imprimir.

 

Importante!

Após enviar sua NFC-e, não há como editar a Informação de NSU, portanto, valide com atenção se a informação foi inserida corretamente.

O que diz a legislação de Pernambuco em relação ao TEF?

De acordo com o artigo 149-A do Regulamento de ICMS, a partir de 1° de janeiro de 2019, as empresas obrigadas à emissão de NFC-e, ao realizarem venda de mercadorias cujo pagamento seja por meio eletrônico.

Ou seja, via cartão de crédito ou débito, a emissão do respectivo comprovante de pagamento deve estar vinculada à NFC-e correspondente, mediante interligação com o programa emissor de notas fiscais e, na hipótese de impressão do Danfe NFC-e, deve ser utilizado o mesmo equipamento para impressão do respectivo comprovante.

 Esta obrigatoriedade não se aplica:

  • nas vendas realizadas fora do estabelecimento físico da empresa (seja utilizando meios de transporte ou comercializando produtos em feiras, por exemplo);

  • aos optantes pelo Simples Nacional, conforme definido no Decreto nº 47.449, de 13 de maio de 2019;

  • à contribuintes na condição de MEI (micro empreendedor individual);

  • até 31 de julho de 2019, ao estabelecimento com atividades relativas ao fornecimento de alimentação, bebida e outras mercadorias em bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos similares, ou seja, empresas com inscrição regular no Cacepe (Cadastro de Contribuintes do Estado de Pernambuco) e classificadas com alguma das CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) listadas abaixo:

 

Por consequência, a partir de 1° de agosto de 2019, todas as empresas localizadas em Pernambuco que forem obrigadas à emissão de NFC-e (com exceção dos optantes pelo Simples Nacional), devem integrar o emissor de notas fiscais com a “máquina de cartão”, não importando o ramo de atividade do estabelecimento.

O que diz a legislação do Rio Grande do Sul em relação ao TEF?

Publicado no Diário Oficial do Estado do dia 08 de março de 2023, a Instrução Normativa RE nº 016/2023 prorroga a entrada em vigor da vinculação da NFC-e que documentar operação de venda, com os pagamentos recebidos por meio de cartões de débito, de crédito e de loja. 

Estabelecimentos comerciais localizados no Rio Grande do Sul, com atividade econômica enquadrada nos CNAEs 4711-3 e 4712-1 (supermercados, hipermercados e minimercados) que tenham alcançado no ano de 2022 faturamento superior a R$ 360.000,00, ficam obrigados à vinculação das vendas com pagamentos eletrônicos a partir de 1º de abril de 2023.

No fechamento do caixa quando a forma de pagamento for cartão serão disponibilizados campos para preenchimento e estas informações serão geradas no XML, no grupo de pagamento/cartão. Regra para clientes do Rio Grande do Sul enquadrados nos CNAEs 4711-3 e 4712-1

 

Na Conta Azul é mais fácil emitir NFC-e!

Temos o melhor Frente de caixa (PDV) para o seu negócio. Experimente e conheça nosso ERP e tenha mais controle, tempo e segurança na gestão do seu negócio.

Esse artigo foi útil?
Usuários que acharam isso útil: 45 de 61

Comentários

0 comentário

Por favor, entre para comentar.

Esse artigo está
sendo útil?