Aviso: A versão clássica da Conta Azul deixou de ser comercializada. Para melhor atender os donos de negócio e contadores, empresas que já usavam a versão Clássica podem permanecer nela. Novas assinaturas obrigatoriamente devem usar a versão Pro. Para saber mais clique aqui.
Pergunta Frequente

Como gerar o Código de Segurança do Contribuinte (CSC) no Mato Grosso do Sul

Bruna Schmitz
Bruna Schmitz
- Atualizado

O Código de Segurança do Contribuinte – CSC é um código de segurança alfanumérico usado para gerar o QRCODE da NFC-e, de uso exclusivo do contribuinte (sócio) e gerado pela SEFAZ de seu estado.

É usado para garantir a autoria e a autenticidade do DANFE NFC-e do contribuinte (empresa)

Para que o contribuinte obtenha a autorização de uso de NFC-e deverá verificar a particularidade do seu estado.

O credenciamento deverá ser realizado para cada estabelecimento do contribuinte localizado neste Estado e inscrito sob o mesmo CNPJ-base, para solicitar acesse o site da Fazenda e clique na opção Acessar Credenciamento Online.

Requisitos para ser emissor de NFC-e no ambiente de homologação (testes):

  • Estar inscrito no Cadastro de Contribuinte do Estado, sem qualquer irregularidade cadastral (IE Ativa, Suspensa ou Provisória);

  • Estar enquadrado no Código de Atividade Econômica (CAE) de comércio varejista, prestador de serviços de telecomunicações e/ou desenvolvedor de sistemas do MS;

    • Os CAEs de varejo permitidos situam-se na faixa de 50.000 a 59.999 (Exceto 51.101-posto revendedor de combustível).

    • Os CAEs de prestador de serviços de telecomunicações aceitos são 60.468, 60.469, 60.470, 60.471 e 60.472.

    • Os CAEs de desenvolvedor de sistema aceitos são 60.308, 60.510 e 60.601.

    • Os CAEs de serviços de hotelaria aceitos são 60.042, 60.125, 60.126, 60.127, 60.128, 60.129, 60.130, 60.131, 60.132, 60.133, 60.134 e 60.595.

  • Estar cadastrado no ICMS Transparente;

  • Possuir Certificado Digital no padrão ICP-Brasil tipo A1, contendo o CNPJ de um dos estabelecimentos da empresa;

  • Observar os padrões técnicos e o leiaute estabelecidos no Manual de Orientação ao Contribuinte;

  • Desenvolver ou adquirir um software emissor de NFC-e. O software deverá manter um histórico de NFC-e emitidas, assim como deverá conservar os status de cada NFC-e mantida no histórico, se foi autorizada, cancelada ou rejeitada.

A migração para o ambiente de produção (com validade jurídica) ocorre de forma automática após a realização dos testes mínimos (uma autorização de NFC-e Normal, uma autorização de NFC-e emitida em contingência off-line, um cancelamento de NFC-e e uma inutilização de numeração).

Se tiver dúvidas ao realizar este processo, converse com seu contador, ele poderá conduzir o processo de sua empresa.


Compartilhe esse artigo:

Esse artigo foi útil?

Usuários que acharam isso útil: 0 de 0
Ainda não possui Conta Azul  em sua empresa?  A plataforma online fácil de usar que ajuda você a organizar e controlar seus  negócios. Experimente agora